Return to site

Por que você deveria sair mais?

· Bem-estar,Passeios,Saúde,Corpo e mente

Olá, garotada!!

O post de hoje vai ser na vibe bem reflexiva que a gente estava quando falamos de críticas (Faça isso - e crítica alguma poderá feri-lo). Leia com carinho e sinta-se inspirado a fazer coisas diferentes.

Quando eu acordei, fiz um pequeno planejamento para o meu dia, mas as coisas foram completamente diferentes do que estava na minha agenda. Não foi um diferente ruim, muito pelo contrário, eu até que gostei. Tínhamos combinado na escola, na semana anterior, que faríamos a nossa confraternização (todo ano a gente faz). E justamente hoje eu tinha que comprar alguns arranjos para o meu cabelo.

Então, após a festinha de despedida (que foi maravilhosa, diga-se de passagem), eu saí da escola e peguei um ônibus; estava até desistindo de comprar as presilhas, quando me dei conta de que não perderia coisa alguma por descer no centro da cidade. Se eu não gostasse de nada, bastava voltar para casa, não é mesmo? Foi o que eu fiz. E foi uma das melhores escolhas do meu dia.

Fui andando de loja em loja, observando roupas, calçados, produtos para pele e cabelo… Uma infinidade de coisas. Essa é uma experiência bem válida, porque mesmo que eu saiba que não quero comprar nada do que vejo, pelo menos estou aliviando a minha mente de preocupações desnecessárias, saca? O melhor de tudo é que eu conversei com pessoas e pedi a opinião delas sobre alguns produtos. Isto é, apenas aumentei meu networking, não é demais?

Esses episódios são muito importantes em nossas vidas, viu, pessoal? É muito bom sair pelas ruas e falar com quem nós nunca vimos ou falamos antes. Experimente! Parece que você se sente mais seguro de si para puxar assunto e acaba fazendo novas amizades. Eu tenho sempre em mente que nada é por acaso. Algumas pessoas que entram em nossa vidas podem nos ajudar, e muito, lá na frente. Nunca se sabe. É por isso que eu acho que você deveria sair mais. Tenha sede de vida. Seja curioso.

Um dia desses eu estava assistindo uma vídeo aula de um dos livros cobrados na Fuvest. Pensa numa baita vídeo aula. O professor era super animado, cheio de energia e muito cabeça, apesar de ser muito brincalhão. Uma das coisas que ele falou, e eu guardei para sempre (além da análise do livro), foi: “a vida gosta de quem a morde”. Cara, juro para você que eu fiquei muito pensativa quando ouvi isso. Eu comecei a refletir comigo mesma e me fiz algumas perguntas: “será que eu tô mordendo a minha vida na intensidade certa?”; “o que eu preciso fazer para que a vida goste de mim?”... Fui fazendo umas indagações desse naipe, até que cheguei à conclusão de que eu sou a própria vida. É muito filosófico, mas eu vou tentar explicar: eu sou a própria vida na medida em que sou a única que me conheço 100% (ou pelo menos deveria) e sou capaz de realizar mudanças no meu jeito de ser. Mais precisamente: somos nós mesmos quem fazemos a nossa vidinha caminhar e progredir, somos nós quem nos “mordemos” para nos moldar conforme nossas intenções. Sendo assim, por que eu não seria a minha própria vida? Acho que essa ideia toda me permite dizer também que eu faço a vida acontecer. Sem a minha pessoa, sem a minha essência, todo o resto é superficial. Isso se aplica a você também, leitor. Por favor, contemplem a nova filósofa contemporânea, haha.

Contudo, se nós não trouxermos essa reflexão para o cotidiano, não vai adiantar muito. Pense comigo, se a vida gosta de quem a morde, por que não aproveitamos cada oportunidade como se fosse a última? Então, bebê, quando sua amiga ou seu amigo te chamar para alguma coisa, tente ir, faça um esforço. É claro que você precisa de um pouquinho de bom senso, porque dependendo de alguns amigos a gente pode entrar em enrascadas, viu? Mas é muito importante que você aumente seu círculo social e a gente faz isso com mais facilidade saindo de casa, né não?

Vamos bolar um exercício para você, mas, antes, eu tenho que fazer umas perguntinhas: você conhece bem a sua cidade? Sabe onde fica a maioria das lanchonetes e lojas? É normal que você não saiba mesmo e é por essa razão que eu quero te propor esse desafio. Em um dia que você estiver sem nada para fazer, no marasmo chato de ficar só assistindo sessão da tarde, faça um mapinha da sua cidade (Google Maps, ajuda nóis...) e marque alguns lugares que nunca tinha ido e vá para esses lugares. Prefira ir caminhando, se possível, e observe as pessoas, as casas, as praças e os parques. Gente, isso é muito relaxante! Eu não sei explicar o porquê, só sei que é e queria muito que você experimentasse.

Às vezes, o nosso conceito de “sair” só inclui o shopping, o cineminha e alguns parques. Nós quase não levamos em conta que o lugar em que moramos pode ter coisas super bacanas para fazer. Quer diversão maior do que se aventurar por aí e descobrir novas redondezas, novos ares? Eu recomendo muito. Você pode se inspirar, começar um novo trabalho… São tantas possibilidades, tente! Quando acabar de ler, faça o mapinha, mesmo que não vá hoje. Já é um incentivo. Morda sua vida!!

Abraços

All Posts
×

Almost done…

We just sent you an email. Please click the link in the email to confirm your subscription!

OKSubscriptions powered by Strikingly